done Seu endereço foi salvo
close
error_outline E-mail inválido
close
Experimente gratuitamente

Blog Mailify: O Email Marketing fácil de usar

Dicas para melhorar suas newsletters, atualidades sobre o nosso produto e tudo sobre e-mail marketing.

Vai vender na internet? Saiba como escolher a melhor plataforma

Vai vender na internet? Saiba como escolher a melhor plataforma

O e-commerce é o segmento de varejo que mais cresce em vendas nos últimos anos. De acordo com dados da Ebit, o crescimento foi de 12,1% no primeiro semestre de 2018, em relação ao mesmo período do ano anterior, representando um faturamento de R$ 23,6 bilhões. Ou seja, o comércio virtual é uma grande aposta para os empreendedores nos dias de hoje, o que não descarta as lojas físicas, é apenas mais uma forma de vender.

No entanto, assim como para uma loja física é importante escolher um ponto propício para abertura, no e-commerce é necessário escolher a plataforma adequada. Para isso você deve considerar diversos fatores e optar por uma plataforma que ofereça recursos que se adequem ao seu modelo de negócio. Neste artigo, vamos lhe contar o que você deve observar na hora de escolher sua plataforma de e-commerce:

1. Preço

Todos os passos de uma empresa precisam ser planejados financeiramente, e além disso, a intenção é que deem lucro.

Por isso, considerar o investimento em uma plataforma de e-commerce é necessário. Existem ferramentas gratuitas e pagas para atender às necessidades de cada empresa, cada uma tem suas vantagens e desvantagens, mas as pagas tendem a oferecer maior possibilidade de customização. O recomendado é analisar o custo-benefício, ou seja, quanto a plataforma custa e o que ela oferece, verificando se essa relação vale a pena.

2. Grau de personalização

É importante que sua loja virtual tenha a cara do seu negócio. Por isso, sua plataforma deve oferecer possibilidades de personalização. Assim é possível aplicar sua identidade visual ao e-commerce. A partir disso, sua loja se destaca perante a concorrência, além de indicar ao consumidor que aquele e-commerce pertence à sua marca. Em resumo, usar um template fechado até pode facilitar o trabalho ou sair mais barato, mas também pode ser um grande limitador.

3. Recursos

Os recursos são as ferramentas oferecidas pelo sistema da plataforma, que podem limitar ou facilitar o seu trabalho, dependendo da disponibilidade deles. Recuperador de carrinhos abandonados, listas de desejos, gestão de estoques, controle financeiro, ferramentas de marketing, entre outros. Quanto mais opções você tiver, melhor será, pois facilitará seu trabalho na gestão do e-commerce e conseguirá atrair o consumidor com maior facilidade.

4. Integrações

São elas que trazem mais segurança e facilidades, tanto para o gestor, quanto para o cliente. Vale a pena observar se a plataforma trabalha de forma integrada com sistemas antifraude, redes sociais, meios de pagamento, certificações de segurança, serviços de logística, ERPs, entre outras ferramentas necessárias em uma loja virtual. Quando disponíveis, o processo de venda torna-se mais simples e menos passível de erros, por isso a importância de uma plataforma integrada.

5. Tipos de plataforma

Existem três tipos principais de plataforma disponíveis para quem quer abrir um e-commerce e cada uma atende um perfil de empresa, por isso, é necessário avaliar conforme sua realidade. A plataforma alugada tem baixo custo, por isso é mais interessante para quem está começando a vender na internet. Nesse formato, o contrato é feito mensalmente de acordo com o pacote selecionado.

Já a plataforma comprada oferece mais personalização e integração, uma vez que o código aberto permite customizar a loja virtual, configurando-a conforme a necessidade da empresa. Por fim, a plataforma própria, opção com maior custo de implantação e manutenção, desenvolvida exclusivamente para a empresa. Nesse caso, a vantagem é poder personalizar a loja virtual como quiser.

6. Categorias de plataforma

6.1.  Plataforma SaaS

As plataformas SaaS (Software como Serviço) são o tipo mais usado, oferecendo um mesmo sistema para todos os clientes. É nesse modelo que se encaixam as plataformas alugadas e compradas. Para utilizar esse serviço, normalmente o cliente paga um valor mensal, mas também existem opções gratuitas. A vantagem das SaaS é ter um prazo menor de implantação, além da hospedagem, que é responsabilidade do fornecedor da plataforma, bem como a manutenção da estrutura.

6.2.  Licenciamento

Nesse caso, a empresa adquire uma licença para usar o código-fonte de uma plataforma já elaborada por um terceiro. Apesar de ter uma solução já pronta, a adequação às necessidades do seu negócio pode demorar até um ano. A manutenção da plataforma e o suporte são responsabilidade da empresa e a flexibilidade é de 100%.

6.3.  Desenvolvimento interno

Pode ser totalmente adaptado, pois é desenvolvida de acordo com as necessidades do negócio. Por isso, esse tipo de plataforma requer uma equipe de TI interna para fazer todo o desenvolvimento e manutenção. Não possui custos de aquisição, no entanto, tem o custo de implantação e manutenção, por isso, tende a ser mais caro. Esse modelo também tem o maior prazo de implantação, que também vai variar conforme o tamanho da equipe e os conhecimentos técnicos que esses colaboradores possuem.

Começar a vender na internet por meio de um e-commerce é uma ótima decisão, pois este formato está crescendo e tem espaço para expandir ainda mais. Dessa forma, lojas que não estão na internet não se destacam. O uso de uma plataforma adequada nesse contexto é sinônimo de mais vendas, mais lucro e mais clientes satisfeitos. Por isso, você deve analisar a situação do seu negócio e o orçamento, sem esquecer de analisar as vantagens para os clientes.

 

 

Sem comentários

Deixe um comentário

Experimente gratuitamente
clear

Desativar todos os cookies

Audiência

Os serviços de medição de audiência podem gerar estatísticas de visitantes úteis para melhorar o site.

Suivi comportemental

Removido

Autorizado

Afiliação

Removido

Autorizado