Blog Mailify: O Email Marketing fácil de usar

O blog de referência de Mailify: encontre todas as informações sobre email marketing em

email-automation.pt

17 Sinais de que sua newsletter vai fracassar!

17 Sinais de que sua newsletter vai fracassar!

Você pensou que era imbatível no envio da sua newsletter?

Ou talvez você não esteja realmente prestando atenção?

Esteja ciente de que pequenos descuidos podem, mesmo que pareçam insignificantes, colocar suas newsletters no esquecimento e arruinar parcialmente sua estratégia de email marketing.

Enfim, eu sugiro que você leia esses próximos 17 tópicos.

Se você se encontrar em alguns deles, é provável que suas mensagens precisem de uma pequena revisão …

Ninguém responde à sua newsletter

Não é porque você envia um email que você deverá receber automaticamente uma resposta.

Se a sua newsletter realmente interessa os seus destinatários, você deverá receber algumas respostas (sem contar as «quero me descadastrar» é claro). É um sinal que você chamou atenção e prova de que está provocando reações.

A solução: definir um endereço de resposta válido, a fim de receber quaisquer respostas.

O simples fato de colocar um nome como o remetente reforça a sensação de proximidade entre você e seus leitores. Eles serão mais propensos a responder a um email enviado por «Freddy da MINHAEMPRESA.COM» do que um email da «MINHAEMPRESA.COM».

Também espere receber respostas negativas, e você deve levá-las em consideração para melhorar a sua comunicação.

Suas taxas de abertura nunca excedem 15%

15% de aberturas é pouco. Não é catastrófico, mas pouco. Abaixo disso realmente começa a ser problemático. Você perde tempo, dinheiro e energia com newsletters não rentáveis.

A solução: O problema aqui certamente vem da qualidade de seu banco de dados. Como você coletou seus contatos? Sua base é antiga? Você mantém atualizações constantes?

Seus contatos devem todos ter sido legalmente coletados, eles são chamados de «opt-in». Isso demonstra que eles concordaram em receber seus emails.

Fique longe de listas encontradas na internet e que prometem maravilhas.

Mesmo pequena, uma base qualificada tem potencial para o seu negócio. Então, tome o tempo necessário para criar a sua!

Por outro lado, se seu banco de dados já tem alguns anos de idade, considere limpá-lo removendo os inativos (contatos que nunca abriram seus emails).

Use um software de email marketing que analise seus destinatários para detectar endereços errôneos, domínios desconhecidos e assim por diante.

Em suma, cultive seu banco de dados e, acima de tudo, não se esqueça de processar os cancelamentos!

Você não tem idéia das taxas médias de abertura e cliques do seu email marketing

Ao fazer email marketing, a análise de dados acontece antes, durante e depois.

E quando dizemos depois, falamos especificamente da análise estatística que segue o envio de suas campanhas.

Esta análise permite que você avalie a relevância de sua mensagem para seus contatos. Você pode então obter dados particularmente úteis.

A solução: Aqui estão as estatísticas que você precisa monitorar a todo custo para melhorar sua estratégia de email marketing a longo prazo:

  • A taxa de abertura
  • Taxa de cliques
  • Taxa de cancelamentos
  • Taxa de bounces
  • Taxa de reatividade (interação)
  • Tempo de leitura
  • Os links mais clicados
  • Geolocalização dos seus destinatários
  • Programas de email mais usados
  • Sistema operacional mais usado
  • Tecnologias mais usadas (móveis/desktop)

Isso é muito, é verdade.

Mas, analisando-os, você não só será capaz de julgar a eficácia ou não de seus emails, mas também conhecer melhor seus destinatários. Informações importantes se você planeja melhorar a lucratividade de suas campanhas. Outro aspecto da sua nálise deveria ser identificar oportunidades. Por exemplo: apenas com testes, você poderá entender qual é a melhor hora para enviar a sua newsletter.

O conteúdo se repete de email para email

Eu vejo isso muitas vezes. Newsletters que apenas repetem os mesmos itens em loop e são enviados a um ritmo intenso.

Essas mensagens vêm principalmente de sites de notícias. Mas honestamente, mesmo que eu me inscreva em um boletim diário, eu não espero receber a mesma informação dia após dia!

A solução: Dê a si mesmo tempo!

A fim de evitar o impasse para sua newsletter, você deve encontrar um ritmo adaptado à sua capacidade de produzir conteúdo.

Isso é crucial.

Se você envia uma newsletter ou duas por mês não é importante aos olhos de seus leitores.

O que importa é o conteúdo.

E é a qualidade do seu conteúdo que vai atrair seus destinatários e gerar uma reação esperada. Não o frenesi de seus envios.

Ninguém compartilha seus artigos em redes sociais

Se o canal de email permite que você transmita suas mensagens, o compartilhamento em redes sociais deve ser a continuidade desse trabalho. Se você fizer seu trabalho bem, você irá incentivar seus leitores a juntar-se a você nas redes através de suas várias comunicações.

Se você não permitir que seus contatos compartilhem suas newsletters, ela afetará somente uma audiência restrita aos seus contatos.

Seus leitores podem ser excelentes replicadores de conteúdo a seu serviço.

A solução: seus contatos têm seu próprio banco de dados e as redes sociais são a solução mais fácil para compartilhar conteúdo. Então, torne isso fácil para eles!

A ideia é colocar os botões de compartilhamento social em seu boletim informativo.

Por exemplo, no Mailify, os artigos publicados em nossa newsletter podem ser compartilhados com um único clique.

É assim que fazemos isso:

Em cada botão, basta adicionar a URL de compartilhamento personalizado de acordo com a rede social:

  • Facebook: https://www.facebook.com/sharer.php?u={URL_do_seu_artigo}
  • Twitter: https://twitter.com/intent/tweet?text={Texto do seu Tweet} & url = {URL compartilhada}&original_referer={URL_do_seu_artigo}
  • Google+: https://plus.google.com/share?url={URL_do_seu_artigo}
  • LinkedIn: https://www.linkedin.com/shareArticle?mini=true&url={URL_do_seu_artigo}

Não se esqueça de remover chaves {…} ao substituir por links com suas URLs personalizadas.

Sem picos de visitas no Google Analytics

A ideia quando você envia uma newsletter é ter um retorno benéfico para o seu negócio.

E a primeira pista para avaliar a eficácia real de uma newsletter é o tráfego gerado em seu site.

Ao consultar sua conta do Google Analytics, você deve ver os picos de visita em seu site ou blog no dia de envio de sua mensagem.

Se esse não for o caso, então há um problema.

A solução: O problema pode ter várias origens.

Primeiro, certifique-se de não integrar o PACOTE COMPLETO do seu artigo no conteúdo do seu email.

Se tudo o que há para ler já está presente no email, por que ir consultar o artigo em seu site?

Dê-lhes o desejo de visitar o seu blog, simplesmente colocando uma frase de impacto e um link para ela.

Outro possível problema é que seus botões de ação não são atraentes o suficiente. E este é um problema sério.

Um botão de ação deve ser claramente visível, facilmente clicável e incentivador. Use verbos de ação como («Saiba mais») ou em conjunto com a primeira pessoa («Quero saber mais»).

Suas vendas não aumentam com cada newsletter

Como no exemplo anterior, se suas vendas não aumentam, sua newsletter tem um impacto mínimo em suas visitas e conseqüentemente em suas vendas potenciais.

No entanto, o email deve indiretamente ser uma alavancagem das vendas para ser rentável.

Se você não vê nenhum aumento em suas vendas, suas campanhas não estão sendo feitas corretamente.

A solução: você tem que pensar sobre a jornada de seus destinatários, uma vez que clicaram em um link seu.

Quando chegam em um de seus artigos, certifique-se de ter colocado links redirecionando para o seu site e, se possível, a uma oferta interessante.

Seus artigos enviados por email devem atuar como sutis argumentos de venda.

Além disso, através do envio de artigos que são realmente benéficos para seus destinatários, você irá reforçar a sua imagem como um especialista do assunto e aumentar a sua reputação, o que só pode ser bom para as vendas.

Você muda o design da sua newsletter (muitas vezes)

Olhe para suas últimas 10 newsletters.

Elas são visualmente semelhantes?

Se assim for, perfeito.

Por outro lado, se seus emails têm um design muito irregular, você perderá seus destinatários.

A solução: Claro, nosso conselho aqui será agir em torno de um único design.

Tente se aproximar do design de seu site e de outras comunicações para ser consistente. Escolha ou faça um modelo/template que funcione pra você. Se quizer mais ajuda com essa tarefa, confira o nosso artigo sobre o assunto!

Você, assim, acostumará seus contatos a um universo visual recorrente que ajudará muito a reconhecer sua marca.

Claro, não deixe de fazer alguns retoques necessários para adaptá-la ao gosto do dia, se necessário. Mas não perca a essência visual de sua marca!

Há mais de 3 fontes diferentes em sua Newsletter

Enquanto falamos sobre design, vamos falar sobre homogeneidade.

Temos visto muitas vezes mensagens com tipografias diferentes por toda parte.

Na maioria das vezes, os marketeiros que fazem isso pensam em destacar elementos importantes, atribuindo-lhes uma fonte diferente e cor.

No entanto, isso produz exatamente o efeito oposto: algo fica perdido em meio a um excesso de informações.

A solução: Tente manter apenas duas tipografias diferentes, uma para os títulos e outra para os textos.

A ideia é manter uma certa homogeneidade na concepção de sua mensagem porque o importante é ter sucesso ao guiar o olhar do leitor.

Se você distraí-lo com alegorias em todo lugar, você não será capaz de converter.

Mantenha-se simples, destaque links e botões de ação e não escreva muito!

Ninguém nunca lhe diz «Ei, recebi sua newsletter!»

Você pode não pensar nisso, mas esse tipo de comentário é realmente revelador.

É muito provável que alguns de seus entes queridos, amigos, colegas ou conhecidos estejam inscritos em sua newsletter (e se não, peça-os para se inscrever… você poderá receber feedbacks interessantes e honestos).

Se nenhum deles falar da sua newsletter, ela não atrai a atenção deles, passa direto para pasta de SPAM, ou seus parentes não se atrevem a dizer-lhe o quanto a acham chata.

A solução: desde já, para ter uma opinião sincera de seus entes queridos … pergunte a eles!

Depois, trabalhe para que sua newsletter seja o mais impactante possível.

Use humor, varie títulos (esqueça «Newsletter #21» ou outros), seja criativo,

Pense em um email que você recebeu recentemente e que você gostou. Quais são as diferenças comparado ao seu?

Inspire-se no que é feito em outro lugar e pergunte a si mesmo as perguntas certas.

Se sua newsletter não é comentada, você deve fazer alguma coisa!

Você criou uma newsletter em menos de 30 min

Se você acha que pode criar uma boa mensagem em poucos minutos, você está a quilômetros de distância da realidade.

Alguns vão dizer «Com um template personalizável, ele pode ser feito em 30 minutos».

Não.

30 minutos é o tempo que você deve dispor apenas para encontrar o assunto da mensagem mais atraente.

Você deve gastar muito mais tempo do que você pensa em sua newsletter para torná-la tão eficiente e rentável quanto possível.

A solução: Tome seu tempo. Este conselho pode parecer simplista, mas é, no entanto, uma necessidade.

Prepare seu conteúdo com pelo menos um dia de antecedência para não cair em precipitação.

O assunto da sua campanha é provavelmente um dos elementos mais importantes. Gastar apenas alguns minutos seria um enorme erro.

Tente encontrar cerca de vinte títulos para o assunto e anote-os em uma folha de papel. Não tenha medo de ser ousado e tentar coisas que normalmente você não faria.

Uma vez que todos os seus títulos foram escritos, remova o mais maluco, risque os títulos menos interessantes, muito vagos e muito longos.

Ao liberar sua imaginação, você será capaz de encontrar um assunto que realmente tocará seu destinatário e que o fará desejar abrir seu email.

O que quer que aconteça, criar uma newsletter não pode levar apenas meia hora.

Para você, uma newsletter «Não é muito importante»

Suponho, é claro, que você não é daqueles que julgam o email inútil, caso contrário você não o usaria.

Mas nós nunca sabemos.

Enviar newsletters não é uma prática a ser levada em vão, pois permite: melhorar a sua imagem de marca, fortalecer sua marca, manter contato com seus clientes potenciais e aumentar seu volume de negócios.

Tudo isso, com um «simples» email. Não tão simples assim…

A solução: Aqui a solução parece bastante óbvia: não é!

Se você está convencido de que uma newsletter é fácil de se fazer, que ela não paga nada, que você pode fazê-la em 30 min (ver tópico anterior) e que de qualquer forma ela não funciona mais, eu convido você a ler o nosso White Paper que irá explicar como superar seus concorrentes com uma newsletter profissional.

«Versão online», «ALT Tag» e «Responsivo» são palavras chinesas para você

Esses termos são, porém, essenciais para saber em termos de email.

«Página espelho» e «Versão online» significam exatamente a mesma coisa: uma cópia do seu email no navegador de seus destinatários.

Você deve oferecer sempre a opção de exibir suas mensagens em um navegador no caso do cliente de email do seu destinatário não conseguir lê-los corretamente.

A maioria dos softwares de email marketing permite a adição de uma cópia automaticamente. Mas certifique-se de testá-la sempre antes de enviar para se certificar de que ela funciona.

A ALT TAG (ou atributo ALT) é o texto que será exibido em vez de suas imagens no caso de o cliente de email de seus destinatários não conseguir lê-los.

O termo «responsivo» refere-se à natureza adaptativa dos emails para leitura em todas as mídias: celular, tablet, PC, etc.

É uma prioridade hoje em um mundo ultraconectado e com aproximadamente 50% dos emails lidos em um celular, ter uma newsletter legível.

A solução: Consulte um glossário de email marketing. Você encontrará por exemplo muitas definições mais ou menos técnicas em nosso glossário.

Se faltarem definições, não hesite em nos avisar!

Sua newsletter é composta somente por imagens

Ainda hoje recebemos muitas newsletters compostas de uma única imagem ou uma combinação de várias.

O problema é que esses emails caem muito frequentemente, se não toda vez, na caixa de SPAM.

E isso vem, naturalmente, do fato de que eles não possuírem nenhum texto.

O segundo problema é o lado «responsivo»: o email não será capaz de se adaptar para ser lido corretamente no celular.

A solução: Para que um email seja lido em um máximo de programas e webmails e não caia no SPAM, ele deve ser criado em HTML.

Isso significa que ele deve ser criado para que o código seja interpretado pelo cliente de destino.

Não sabe nada sobre HTML? Não entre em pânico. A maioria das soluções de email marketing tem um editor de HTML muito simples.

O Mailify, por exemplo, funciona com um editor “Drag and Drop”. Basta arrastar elementos para uma página em branco para criar sua mensagem personalizada. O código é gerado automaticamente!

Você também pode usar templates de email pré-concebidos e personalizáveis ​​para economizar ainda mais tempo!

Você envia suas newsletters com Outlook, Gmail, Hotmail ou outros…

Alguns reconhecem enquanto outros se gabarão de «O quê, ainda há quem faça isso?».

Sim, e isso ainda é uma prática muito comum, especialmente para pequenas e médias empresas com uma base de destinatários muito pequena.

Muitas vezes a razão mencionada é a falta de ferramentas e a necessidade de não usar uma solução de email real para tão poucos contatos.

No entanto, mesmo com uma base reduzida, fazer email marketing corretamente não é uma opção. Faz-se ou não!

O risco de usar um programa não comercial é que seus emails serão considerados automaticamente como spam, sua reputação como remetente é imediatamente deteriorada e seus esforços para enviar emails em pacotes de 50 serão em vão.

Do ponto de vista da lucratividade, é melhor usar um serviço de e-mail marketing real.

A solução: Obtenha uma solução de email marketing profissional, com servidores de envio adaptados à quantidade e ao formato de suas campanhas.

Mesmo pagando, essas plataformas são uma ferramenta essencial para quem deseja enviar newsletters. Elas tornarão mais fácil para você criar, configurar, personalizar, enviar, etc.

Não só você vai economizar tempo, mas se o seu trabalho for feito corretamente, você verá benefícios financeiros reais.

Você envia anexos em suas newsletters

Se há um hábito que deva ser banido por todos os marketeiros, fora o envio de emails em massa via Outlook (você não faz isso, né?), é realmente a adição de anexos às suas newsletters…

Em todos os aspectos, é uma má ideia.

Os filtros de spam serão alertados e muito provavelmente classificarão o seu email como indesejado.

Na verdade, a adição de anexos em emails em massa pode ser considerado suspeito. Você não quer ser um criminoso cibernético, não é?

Por outro lado, os anexos “pesam” muito sobre os emails. E quanto mais “pesados” forem os seus emails, mais caro custará o envio.

Finalmente, seus destinatários serão cuidadosos e não somente vão apagar seu email sem lê-lo, como também declará-lo como um remetente não desejado.

A solução: Obviamente, nosso conselho aqui é: não envie anexos!

Se você realmente precisa enviar um arquivo, PDF, imagem, flyer ou outro, hospede-o na web, e insira um link para este arquivo em sua newsletter.

Você pressiona «Enviar» dizendo «Vai assim mesmo»

Isso é tudo ? Se você não está 100% convencido de que seu boletim vai fazer sucesso, não envie!

Como você quer que seus leitores o apreciem se você não está convencido de seu valor?

O que você precisa dizer a si mesmo antes de pressionar o famoso botão de envio é algo como «Perfeito, estou enviando».

A solução: No fim das contas, não faça newsletter como se estivesse realizando uma tarefa irritante.

Em vez disso, cada newsletter que você envia é diferente e é o resultado de um novo pensamento estratégico.

Por que esse assunto? Por que este artigo? Que palavras usar? Que imagens?

Esteja convencido de que a mensagem que você envia irá agradar seus leitores e que ela irá converter em resultados.
E se, analisando as estatísticas da sua campanha, este não for o caso, reveja a sua estratégia e tente fazer ainda melhor na próxima vez.

Sem comentários

Deixe um comentário